quinta-feira, junho 20, 2024
HomeNoticiasO Layout QWERTY e a inércia institucional

O Layout QWERTY e a inércia institucional

A inércia institucional é um fenômeno que desafia muitas organizações, retardando a adoção de mudanças benéficas e limitando a otimização da eficiência. Nessa linha de intelecção, de pronto, oportuno destacar, como exemplo, o layout QWERTY dos teclados de computador. Desenvolvido originalmente para máquinas de escrever mecânicas no final do século XIX, o layout QWERTY foi projetado para minimizar as colisões entre as hastes das letras mais comuns, visando aumentar a velocidade de digitação e reduzir travamentos.

Contudo, com o advento da era digital, as limitações físicas das máquinas de escrever tornaram-se obsoletas, e a justificativa original principal para o layout QWERTY deixou de ser relevante. Os computadores não sofrem com o problema das colisões entre as hastes das letras, proporcionando uma oportunidade para repensar e otimizar a disposição das teclas.

Apesar disso, o layout QWERTY persiste como o padrão predominante nos teclados de computador. Argumenta-se que a manutenção está justificada na familiaridade dos usuários, na compatibilidade com sistemas existentes, na resistência à mudança e na falta de incentivo para adoção de uma alternativa.

Embora compreendamos o valor da familiaridade e da compatibilidade, é fundamental reconhecer que a inovação impõe coragem para desafiar o status quo. A resistência à mudança e a complacência com o que é familiar podem ser obstáculos para a busca da eficiência.

Daí ser imperativo que as organizações busquem constantemente maneiras de superar a inércia institucional, promovendo uma cultura de inovação e adaptabilidade, incentivando o estabelecimento de um ambiente que valorize a criatividade e o pensamento crítico. Afinal, embora a mudança possa ser desafiadora, os benefícios de uma abordagem inovadora e voltada para o futuro são inegáveis.

Ao buscar constantemente maneiras de aperfeiçoamento, as instituições reposicionam-se melhor diante do inevitável enfrentamento dos desafios gerados cotidianamente em uma sociedade em incessante e célere mudança, capacitando-se para prosperar em um ambiente competitivo e dinâmico.

A citação do layout QWERTY, neste ensaio a respeito da inércia institucional, importante esclarecer, não sugere a promoção de mudanças simplesmente pelo prazer de mudar, mas sim busca chamar atenção para um ponto crítico: a inovação impõe o desafio de promover alterações nos sistemas estabelecidos. Mais do que simplesmente alterar, é imperioso o esforço contínuo para o aperfeiçoamento dos sistemas, inexoravelmente de maneira reflexiva e responsiva às necessidades atuais. No caso do layout QWERTY, não se ignora que adaptações têm sido empreendidas para melhorar a ergonomia e a eficiência em favor dos usuários em diferentes contextos tecnológicos e linguísticos, o que, por um lado, demonstra a razão, até hoje, da manutenção de grande parte de sua estrutura original, mas que, por outro, evidencia que não pode ser visto como insubstituível; no máximo, por ora, de difícil substituição.

Daí que, se por um lado alguns conformam-se com a preservação do layout QWERTY no teclado de um computador, também há aqueles que enxergam na inovação contínua uma poderosa bússola de orientação do caminho rumo à boa governança, imprescindível à sobrevivência e evolução de toda e qualquer instituição.

José Carlos Fernandes Junior, Promotor de Justiça, ingresso na carreira do Ministério Público do Estado de Minas Gerais em agosto de 1991. Com especialização em Divisão de Poderes, Ministério Público e Judicialização, pelo Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional do MPMG (CEAF/MPMG). Mestrando em Direito Político e Econômico pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM-SP)

Redação Viraliza BH
Redação Viraliza BH
Felipe de Jesus é Jornalista pela Faculdade Estácio de Sá/BH | Advogado pela UNIESP e Pós-Graduado em Direito Empresarial e Direito Público e Licitatório pela Faculdade Focus. É Economista pela UNIP/SP | Teólogo pela ESABI | Sociólogo pela Universidade Polis das Artes/SP | Técnico em Publicidade pela IPED/SP | Perito & Assistente Judicial Trabalhista - Contábil/Imobiliário pela 'Faculdade Beta Perícias & Pós-Graduação Jurídica' | Mestre em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação pela UEMC. Atualmente cursa o Bacharelado em Farmácia/Ciências Médicas pela UniFECAF/SP.
RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Dê sua sugestão!spot_img

Most Popular

Recent Comments