domingo, abril 21, 2024
HomeNoticiasCulturaPra Romper Fronteiras, segundo álbum do rapper RogerDeff, celebra um ano com...

Pra Romper Fronteiras, segundo álbum do rapper RogerDeff, celebra um ano com show e ações que homenageiam o Hip Hop – 19 de outubro, no CCBB

Pra Romper Fronteiras, segundo álbum do rapper Roger Deff, celebra um ano com show e ações que homenageiam o Hip Hop

Neste ano, a cultura Hip Hop comemora 49 anos de existência, com 39 anos de história no Brasil. Para celebrar, show “Pra Romper Fronteiras”, com o rapper Roger Deff, exposição “O Hip Hop em Belo Horizonte” e aula aberta de dança com Eduardo Sô em um único dia, 19 de outubro, no Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte.  A mostra, que pode ser visitada das 10h às 22h no Teatro II, e a aula de dança, das 18h às 19h30, no Pátio, são gratuitas. A apresentação de Roger Deff, às 20h, no Teatro I, conta com direção e participação do músico Sérgio Pererê e tem ingressos a R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada), e podem ser adquiridos na bilheteria física do CCBB ou no site bb.com.br/cultura.

Em outubro de 2021 o rapper Roger Deff lançou o álbum “Pra Romper Fronteiras”, o segundo da sua carreira solo. Devido ao distanciamento ocasionado pela pandemia Roger gravou as vozes do disco em sua casa, enquanto toda a parte instrumental e de finalização ficou a cargo de Sérgio Giffoni e Fernando Macaco, amigos que assinam a produção do disco que conta ainda com a ilustração do pesquisador e grafiteiro Binho Barreto para as capas, além das participações de Sérgio Pererê, Michelle Oliveira e os DJs Hamilton Jr e Flávio Machado.

Um ano depois, em 2022, e com uma edição em vinil, “Pra Romper Fronteiras” vai ser celebrado, não apenas pela obra em si, mas pelo contexto da própria cultura Hip Hop da qual faz parte.

Pra Romper Fronteiras

Segundo disco solo da carreira de Roger Deff, o trabalho é uma homenagem à cultura Hip Hop, em suas bases conceituais, mantendo as críticas sociais que são inerentes à narrativa do rapper. O nome vem da ideia de que o Hip Hop é uma cultura que estabelece pontes entre universos diversos e rompe paradigmas ao transformar jovens negros e periféricos em protagonistas de suas próprias histórias, influenciando outros na construção coletiva de um legado discursivo que ressignifica o espaço urbano.

O disco conta com oito faixas e foi produzido por Sérgio Giffoni, antigo parceiro de Deff no grupo Julgamento, e Fernando Macaco. Participam do álbum Sérgio Pererê, Michelle Oliveira, os DJ’s Flávio Machado e Hamilton Jr., além de uma parceria com o poeta e ensaísta belo-horizontino Flávio Boave, que é coautor da música “A Pior Pobreza”. Todas as faixas que integram o álbum foram escritas e gravadas entre o final de 2020 e setembro de 2021, o que fez com que o processo fosse realizado à distância, por conta da pandemia. “Gravei todas as vozes da minha casa, com os recursos que tenho, e enviei para o estúdio para que Giffoni e Fernando produzissem. Foi a primeira vez que fiz um trabalho inteiro assim”, relata Deff.

Outra faceta do trabalho são as artes desenvolvidas pelo grafiteiro e ilustrador Binho Barreto. O artista traduziu nas capas as mensagens dos singles e do álbum, com inspirações que vem dos quadrinhos de nomes como Robert Crumb e do rap produzido na década de 90 por ícones como Public Enemy e DelaSoul.

“Trata-se de um trabalho que homenageia as bases da cultura Hip Hop, tanto na estética quanto no conteúdo, com o engajamento próprio do estilo além de diversas referências clássicas desta música”, afirma Deff.

 Celebração dos elementos

O Hip Hop é formado por quatro elementos artísticos: o MC, o break, o DJ e o grafitti, além do conhecimento, como elemento que agrega todos os demais e que também existe de forma autônoma. Neste contexto, uma programação que se propõe a celebrar o Hip Hop precisa, necessariamente, contemplar outras linguagens além da música.

A instalação / exposição traz fotos que registram os mais de 30 anos de história da cultura Hip Hop em Belo Horizonte. Resultado da pesquisa de mestrado de Roger Deff, a exposição “O Hip Hop em Belo Horizonte” condensa imagens que registram a trajetória de pessoas que contribuíram para o desenvolvimento desta cultura na capital mineira ao longo dos anos: DJ’s, dançarinos e dançarinas, e MC’s.

O evento conta também com uma aula aberta de dança com o b.boy Eduardo Sô, um dos pioneiros das danças urbanas em Belo Horizonte. Atuante desde 1983, Sô faz parte da primeira geração de hiphoppers de BH e foi integrante da “Break Crazy”, o primeiro grupo de break da cidade.

Este projeto é realizado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte com patrocínio do Hermes Pardini.

Sobre Roger Deff

Rapper de Belo Horizonte, jornalista e mestre em Artes com pesquisa sobre o Hip Hop da cidade, Roger Deff iniciou sua caminhada no grupo Julgamento, com o qual gravou 3 álbuns – No foco do CAOS (2008), Muito Além (2011) e Boa Noite (2018). Em 2019 lançou seu primeiro álbum solo, intitulado “Etnografia Suburbana“, no qual o artista aborda a relação entre periferia e centro bem como a contribuição cultural da diáspora negra e as várias questões relacionadas à identidade negra e periférica. Produzido por Edgar Filho e Ricardo Cunha, o álbum passeia pela diversidade musical de matriz africana, tendo o rap como ponto central e navegando por estilos como o funk, o rock, o samba e o maracatu.  O trabalho conta ainda com as participações de Flávio Renegado, Ricardo HD, Douglas Din, Celton Oliveira, Luciano Cuica Play, Michelle Oliveira e Richard Neves (Pato Fu). Em 2020, o artista se dedicou aos trabalhos em parcerias, estabelecendo conexões com artistas de universos musicais distintos, a exemplo do single “Reflexões do Isolamento”, produzido em parceria com o músico Barulhista e o remix “Pro Combate”, com a participação do DJ Hamilton Jr. e produção do Poliphônicos, ambos produzidos e lançados em meio à pandemia. Em 2021, Deff realiza participações com artistas diversas, como Loss, Elisa de Sena e Raul Zion (Pequena Morte). 2021 marcou a chegada do segundo álbum, “Pra Romper Fronteiras“, trabalho no qual o rapper homenageia as bases do Hip Hop.

Para 2023, o rapper prepara o terceiro trabalho de estúdio, intitulado “Alegoria da Paisagem”.

Mais informações sobre o artista: http://rogerdeffmc.com/

Ouça no Spotify os trabalhos anteriores: https://spoti.fi/2X6fryk

SERVIÇO

 

Exposição “O Hip Hop em Belo Horizonte” – 10h às 22h – Teatro II – gratuito

Aula aberta de dança com Eduardo Sô – 18h às 19h30 – Pátio do CCCBH – gratuito

Show Roger Deff – “Pra Romper Fronteiras” – 20h – Teatro I – R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia).

Quando: 19/10/2022

Onde: CCBB BH – Centro Cultural Banco do Brasil (Praça da Liberdade 450, Funcionários – Belo Horizonte) – (31) 3431-9400

Ingressos: na bilheteria física do CCBBB ou em bb.com.br/cultura

Redes sociais CCBB: (Instagram) @ccbbbh / (twitter) @ccbb_bh / (facebook) ccbb.bh

Site: bb.com.br/cultura

Leo Junior
Leo Juniorhttps://viralizabh.com.br
Bacharel em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário UNA, graduado em Marketing pela Unopar e pós graduado em Marketing e Negócios Locais e com MBA em Marketing Estratégico Digital, é um apaixonado por futebol e comunicação além de ser Jornalista certificado pelo Ministério do Trabalho.
RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Dê sua sugestão!spot_img

Most Popular

Recent Comments