quinta-feira, fevereiro 29, 2024
HomeNoticiasEstadoEm sua 17ª edição, Fórum das Letras acontece entre os dias 29...

Em sua 17ª edição, Fórum das Letras acontece entre os dias 29 de novembro e 2 de dezembro, em Ouro Preto

Evento promovido pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) terá como tema 'Mulheridades'

Começa nesta terça-feira, 29 de novembro, a XVII edição do tradicional Fórum da Letras, evento literário da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Em formato híbrido, com variada programação presencial e online até 2 de dezembro, terá como tema “Mulheridades. As atividades acontecerão no Anexo do Museu da Inconfidência, a partir das 10 da manhã, tendo a Outras Palavras como livraria oficial. No dia primeiro de dezembro, o dramaturgo, diretor e ator Julliano Mendes encerrará as atividades no pátio do Anexo realizando, junto com Henrique Rocha, a performance intitulada LITERATURApraDANÇAR, uma reverência a cordelistas, repentistas e rappers, que trabalham na interseção entre narrativa e som, palavra, música, projeção de vídeo, beats, política e poesia.

O evento que recebeu Laerte em 2015, neste ano terá em sua abertura a participação da deputada estadual trans Duda Salabert. Professora de literatura, ambientalista, e ativista filiada ao Partido Democrático Trabalhista, Duda Salabert se notabilizou em 2018, por ser a primeira pessoa transgênero a se candidatar ao cargo de Senadora da República. Agora, como deputada federal mais votada da história de Minas Gerais, tem muito a dizer sobre o futuro da Universidade e a inclusão dos grupos sociais marginalizados que se espera do Governo Lula, depois de anos de obscurantismo e desmonte das políticas públicas no país.

Presenças

A poesia contemporânea é o mais lido dos gêneros literários, apesar de raramente encontrar lugar nas grandes editoras. Da poesia tradicional, às bricolagens poético-musicais e experimentações video-poéticas, passando pelo universo da chamada ‘Poesia marginal’ como um caminho de transgressão de convenções literárias,  ela terá, como sempre,  um papel fundamental no Fórum das Letras. Estarão no Fórum os poetas Kiko Ferreira, que celebra 40 anos de poesia com o lançamento do livro Tempo Diverso, Alicia Duarte Penna, Mario Alex Rosa, Emilia Mendes, Carlos Melo, Rômulo Ferreira, Isaías Gabriel Franco, Ana Lidia, Nino Stutz, jornalista e autor premiado de literatura infanto-juvenil.

Contudo, a mulher estará no centro das discussões, como nas obras densas e instigantes de pensadoras dos domínios da literatura, da filosofia e da arte, mulheres comprometidas com seu tempo, como Leca Kangussu, Junia Carvalho, Celina Lage Ângela Xavier e a brasileira radicada em Berlim, Carla Bessa, que ganhou o Jabuti com o livro de contos Urubus. Da mesma forma, o coletivo Mulherio das Letras do Brasil e de Portugal conduzirá um Sarau na Livraria Ourtras Palavras no dia 2 de dezembro pela manhã, juntamente com todos os poetas participantes do evento.

Produção

Realizado praticamente sem recursos, o evento continua denso e elegante como sempre sob a coordenação das professoras Guiomar de Grammont, idealizadora do evento, e Mônica Gama, do curso de Letras da UFOP, que assinam também a curadoria, juntamente com a professora Marta Maia, do Curso de Jornalismo, Tatiana Ribeiro de Souza, do Curso de Direito e Alessandra Vannucci, professora da UFRJ, curadora da homenagem ao Centenário do cineasta e poeta Pier Paolo Pasolini no Fórum das Letras. Homenagem que ocorrerá com debates online com grandes especialistas da Itália e do Brasil. Participam da organização também Claudineia Guimarães, o escritor e performer Julliano Mendes e os alunos da UFOP, Gabriela Moura e Lucas de Assis Sena Santos.

Refletindo sobre o tema, a coordenadora geral do evento, Guiomar de Grammont, observa que “a ampliação das políticas sociais, incrementando as condições de vida da população em geral, fomentou a melhoria de alguns indicadores sociais das mulheres e grupos LGBts na área de saúde e educação. No entanto, essa melhoria ainda não é suficiente para colocá-los em situação de igualdade de condições em outras esferas, como o mercado de trabalho e os espaços de tomada de decisão”. Guiomar, acrescenta que “a expressão desse movimento se deu sobretudo através de obras literárias e ensaísticas”.

O Fórum das Letras 2022 colocará em cena essas vozes que, por muito tempo foram silenciadas e que, hoje, dominam a produção literária da contemporaneidade. A professora Mônica Gama acrescenta que a luta pela garantia dos direitos das mulheres fez nascer o feminismo, movimento social e político que pretende conquistar o acesso a direitos em condições de equidade entre os gêneros, luta que repercute também nos direitos dos grupos LGBTs.

Cinema

O Canal Futura trouxe um importante apoio para o Fórum das Letras, com a exibição de filmes relacionados com o tema do evento, comentados por professores da universidade: Libertem Angela Davis, documentário que retrata a vida de Angela Davis, uma professora conhecida por seu profundo engajamento em defesa dos direitos humanos, símbolo da luta pelo direito das mulheres, dos negros e dos oprimidos. O outro filme é A Academia das Musas, filme em que um professor de filologia promove um seminário sobre o papel das mulheres como inspiração e musas da literatura.

A relação entre o cinema e a literatura será um dos focos mais importantes do evento, com o lançamento da obra Edição, livros e leitura no cinema, pesquisadores comentam filmes que têm a edição como eixo norteador da narrativa, oferecendo ao público em geral relevantes discussões sobre o livro (e o seu futuro), os diferentes suportes e circulações, as práticas sociais da leitura, abordados também na palestra de Sergio França, editor que participa do Fórum das Letras com uma conversa sobre como publicar um livro ou um artigo. Em seu estudo sobre a atuação pioneira do editor Francisco de Paula Brito (1809-1861), Bruno Martins participa do evento mostrando que o cinema no Brasil é mais antigo do que se imagina: na  segunda  metade  do  século  XIX,  a  imprensa  ilustrada  dava  os  seus  primeiros  passos,  aproximando  de  uma forma inédita as figuras do leitor e do espectador.

Uma viagem fascinante pelo passado, nesse evento de profundidade acadêmica é a conversa entre os helenistas Jacyntho Lins Brandão e Alexandre Agnolon, sobre a transposição para o português, realizada por Jacyntho, de outro poema babilônico, Epopeia da criação, conhecido também como Enuma Eliš, como a elogiada tradução comentada que realizou antes da Epopeia de Gilgamesh.  o Enuma Elis  foi composto há pouco mais de três mil anos, na língua do ramo semítico identificada em meados do século XIX e chamada “acádio” pelos estudiosos que a decifraram, em referência à cidade de Akkad, capital  do império de Sargão, no século 24 a.C.

O texto foi localizado em 1849 nas ruínas da biblioteca do rei Assurbanípal, em Nínive (próximo da atual Mossul, no Iraque). Enuma Eliš descreve a teogonia e a cosmologia dos babilônios: a criação do mundo, a luta entre os deuses pela supremacia, a criação da humanidade para servir a divindade. Diversas passagens de alto valor poético contêm episódios que foram aproveitadas em literaturas posteriores, como as mitologias assírias e os escritos bíblicos do Gênesis.

Homenagem

Intitulada ‘PASOLINI PASSOU POR AQUI’, a jornada internacional em homenagem ao poeta, ensaísta e diretor de cinema Pier Paolo Pasolini (1922-2022) acontecerá no dia 7 de dezembro, com duas mesas on line: às 11 horas da manhã, Rino Caputo, da Università Tor Vergata, Maura Locantore, da Université de Poitier e Juri Brunello, da Universidade Federal do Cearà / Università di Genova  falarão sobre ‘Pasolini e a literatura’, sob a mediação e tradução do professor Alex Calheiros de Moura, diretor do Museu da Inconfidência. Às 15 horas, Ivana Bentes, da ECo-UFRJ, Pro-Reitora de Extensão, Luisa Stagi, da Università di Genova e Alessandra Vannucci, da ECo-UFRJ e Università di Genova, irão conversar sobre ‘Pasolini e a sociedade’ sob a mediação de Guiomar de Grammont, da UFOP, Coordenadora do Fórum das Letras.

 FÓRUM DAS LETRAS – Em 16 anos, o evento recebeu alguns dos mais importantes escritores da atualidade, como Milton Hatoum, Adelia Prado, Ferreira Gullar, Moacyr Scliar, Affonso Romano de Sant’Ana, Marina Colasanti, João Ubaldo Ribeiro, Marcio Souza, os portugueses José Luiz Peixoto, Valter Hugo Mãe, Isabel Lucas, o moçambicano Mia Couto e o angolano Luandino Vieira, entre tantos outros.  Passaram pelo Ciclo de Jornalismo nomes como João Moreira Sales, Lira Neto, Eliane Brum, Humberto Werneck, Mário Magalhães, Fabiana Moraes, Daniela Arbex, Audálio Dantas, entre outros grandes nomes do jornalismo brasileiro.

 

Leo Junior
Leo Juniorhttps://viralizabh.com.br
Bacharel em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário UNA, graduado em Marketing pela Unopar e pós graduado em Marketing e Negócios Locais e com MBA em Marketing Estratégico Digital, é um apaixonado por futebol e comunicação além de ser Jornalista certificado pelo Ministério do Trabalho.
RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Dê sua sugestão!spot_img

Most Popular

Recent Comments