domingo, julho 14, 2024
HomeNoticiasCultura8/6 - Julua Moyses lança livro "O desaparecimento dos peixes"

8/6 – Julua Moyses lança livro “O desaparecimento dos peixes”

Pesquisadora dos reinados mineiros estreia na ficção com referências à cultura popular do estado e ao pensamento do mestre quilombola Nego Bispo

No próximo sábado, 8 de junho, das 11h às 14h, a jornalista e escritora belo-horizontina Júlia Moysés lança seu primeiro livro de ficção “O desaparecimento dos peixes” (Cas’a Edições). O lançamento acontece no espaço A’mais (Avenida Brasil, 75, Casa 2, Santa Efigênia), com entrada gratuita.  Os livros estarão à venda a R$60 no local e, posteriormente, pelo site casaedicoes.com .

 

Júlia Moysés é idealizadora e editora dos livros Percursos do Sagrado: Irmandades do Rosário de Belo Horizonte e Entorno (2012) e Mulheres Reinadeiras: rainhas, capitãs e cozinheiras de Irmandades do Rosário de Belo Horizonte (2023), e coeditora da publicação cultural Revista Marimbondo. Em “O desaparecimento dos peixes” a autora traz referências da cultura afromineira, dos congados e reinados, de outros elementos da religiosidade e da cultura popular brasileira e do pensamento do mestre quilombola Nego Bispo, morto em 2023. O livro começou a ser escrito durante a pandemia de Covid-19 e também tem sua narrativa atravessada por uma misteriosa doença.

 

A preparação de originais foi do escritor e dramaturgo Pedro Kalil, a coordenação editorial da editora Maraíza Labanca e o projeto gráfico das designers Mariana Misk (Oeste) e Fernanda Gontijo. O livro contou, ainda, com a consultoria do antropólogo Rafael Barros e do mestre Pai Ricardo de Moura.

 

Este livro foi realizado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte.

 

O desaparecimento dos peixes, por Pedro Kalil

“Uma nova forma totalitária de governo se impõe a um pequeno vilarejo, mudando suas formas de vida e suas relações com a terra, os animais e o que está além. Logo depois, os peixes desaparecem e surge uma doença misteriosa que faz com que as pessoas também sumam. É nesse contexto que Júlia Moysés desenvolve seu primeiro romance, encontro da palavra escrita com formas de vida e viver.

Uma galeria estimulante de personagens — o Zagal Interventor, Domingos, Rosa e outras e outros — vive em Monte Esperança, em uma constante tensão do povo com o novo poder que quer controlar tudo e todos. Mas, mesmo com a tentativa de forçar o esquecimento, algo permanece. É revirando a terra e encontrando todas as sementes e brotos perenes que a força construtiva de O Desaparecimento dos peixes se dá a ver. Ritos, mitos, plantas, animais, todo um saber desconsiderado e ocultado são a matéria de resistência a todo poder.

Se um dia Camus disse que o homem revoltado é aquele que diz não, aqui temos uma comunidade que diz não, apontando uma revolta necessariamente coletiva, que se constrói em solidariedade e que assume responsabilidades e consequências. Por isso, o texto não é sobre um reencantamento do mundo, mas o encanto que nunca desapareceu, que persistiu: a ligação homem-natureza, o passado-presente, o eu-outro.

Uma escrita viva, uma literatura livre: caminhos que Júlia Moysés constrói para rearranjar o fantástico e as comunidades imaginadas da nossa América Latina.”

Serviço

Lançamento do livro O desaparecimento dos peixes

08/06, sábado, das 11h às 14h

Local: Espaço a’mais (Avenida Brasil, 75, Casa 2, Santa Efigênia)

Leo Junior
Leo Juniorhttps://viralizabh.com.br
Bacharel em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário UNA, graduado em Marketing pela Unopar e pós graduado em Marketing e Negócios Locais e com MBA em Marketing Estratégico Digital, é um apaixonado por futebol e comunicação além de ser Jornalista certificado pelo Ministério do Trabalho.
RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Dê sua sugestão!spot_img

Most Popular

Recent Comments