sábado, maio 18, 2024
HomeNoticiasCultura30/11 - Academia Mineira de Letras apresenta livro e palestra “Trajetórias editoriais...

30/11 – Academia Mineira de Letras apresenta livro e palestra “Trajetórias editoriais da literatura de autoria negra brasileira”

Academia Mineira de Letras apresenta, no dia 30 de novembro, às 19h, a palestra “Trajetórias editoriais da literatura de autoria negra brasileira“, com a professora Fabiane Rodrigues e o professor Luiz Henrique Oliveira. Trata-se de parte de estudo numérico e analítico baseado em livro homônimo publicado em 2022 pela editora Malê, que também será lançado na ocasião. Esse é o primeiro estudo editorial desta natureza no âmbito específico da crítica sobre a literatura de autoria negra brasileira. O evento é aberto ao público e a entrada é gratuita.

O evento acontece no âmbito do Plano Anual de Manutenção AML (PRONAC 203709), realizado mediante a Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio do Instituto Unimed-BH – por meio do incentivo fiscal de mais de cinco mil e duzentos médicos cooperados e colaboradores – e da CEMIG. Copatrocínio da Tambasa.

O livro, que motiva a palestra, é o primeiro estudo numérico sobre a literatura de autoria negra brasileira. O assunto é dividido em quatro abordagens, conduzidas pela imersão nos gêneros poesia, conto, romance e não ficção. O levantamento percorre 161 anos de produção editorial (de 1859 até o ano de 2020). Foram elencados os seguintes dados para análise: autores, obras, datas de publicação, locais de publicação e casas editoriais.

Partindo do Portal Literafro, uma das grandes referências em Literatura Afro-Brasileira disponíveis, Fabiane Rodrigues e Luiz Henrique Oliveira dedicaram-se a mapear as trajetórias percorridas pelos escritores negros que publicaram obras literárias ou não ficcionais, tendo como marco inicial o ano de 1859, em que foi publicado o romance Úrsula, de Maria Firmina dos Reis e, também, Primeiras trovas burlescas de Getulino, livro de poesia publicado por Luiz Gama, seguindo até o ano de 2020.

Os autores investigaram os gêneros com o objetivo de responder às seguintes perguntas a respeito da literatura brasileira de autoria negra: quais são os seus autores? Que livros publicaram? Por quais meios editoriais publicaram? Quando publicaram? Em quais momentos históricos? Em quais cidades? Como tais publicações estão distribuídas geograficamente? Quais apontamentos este cenário nos permite?

No prefácio do livro, assim se manifesta o Professor Dr. Eduardo de Assis Duarte, coordenador do Portal Literafro e autor de importantes obras, como Machado de Assis Afrodescendente: antologia e crítica (2007): “chega, pois, em boa hora a pesquisa que desnuda em números os mecanismos operacionais da indústria do livro no Brasil. E que irá, certamente, contribuir para não apenas melhor compreendermos o fenômeno envolvendo quem pode e quem não pode publicar seus escritos, bem como chamar nossa atenção de leitores para os processos e procedimentos de superação desses obstáculos históricos.”

Já a Professora Drª. Regina Dalcastagnè, coordenadora da pesquisa Personagens do romance brasileiro contemporâneo e autora de obras como Literatura brasileira contemporânea: um território contestado (2012), assim escreve na orelha da obra: “Rodrigues e Oliveira não apenas historiam e cartografam a publicação de obras de autoria negra/afro-brasileira, abrangendo prosa, poesia e não-ficção. Também interrogam seu impacto no campo literário e no mercado editorial em uma pesquisa séria e comprometida com a democratização desses espaços. Este livro é, assim, uma contribuição necessária ao debate sobre literatura e relações raciais no Brasil.”

Sobre os autores e palestrantes

Fabiane Cristine Rodrigues é doutoranda em Estudos de Linguagens pelo CEFET-MG, mestre em Estudos de Linguagens, tendo defendido a dissertação “Por uma história editorial da poesia negra/afro-brasileiros”, bacharela em Letras e possui licenciatura em Língua Portuguesa pela mesma instituição. Atualmente atua como educadora popular na Rede Emancipa, participa do Grupo Interdisciplinar de Estudos do Campo Editorial (GIECE) e do Grupo de Estudos Mulheres na Edição, além de desenvolver pesquisas relacionadas a edição, autopublicação, poesia, gênero, raça e etnia.

Luiz Henrique Oliveira é doutor em Teoria da Literatura e Literatura Comparada pela UFMG. Professor do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens, da Graduação em Letras (Tecnologias da Edição) e do Ensino Médio do CEFET-MG. Coordenador do Grupo Interdisciplinar de Estudos do Campo Editorial (GIECE). Membro do Comitê Gestor do Portal Literafro. Autor de Poéticas negras (2010) e Negrismo (2014).

SERVIÇO:

Academia Mineira de Letras

Lançamento do livro e palestra “Trajetórias editoriais da literatura de autoria negra brasileira”, dos professores Luiz Henrique Oliveira e Fabiana Rodrigues

 

Data: 30 de novembro, às 19h

Local: AML – R. da Bahia, 1466 – Centro

Entrada gratuita

Instituto Unimed-BH

Associação sem fins lucrativos, o Instituto Unimed-BH, desde 2003, desenvolve projetos socioculturais e ambientais visando à formação da cidadania, estimular o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas, fomentar a economia criativa, valorizar espaços públicos e o meio ambiente. Ao longo de sua história, o Instituto destinou cerca de R$155 milhões por meio das Leis municipal e federal de Incentivo à Cultura, fundos do Idoso e da Infância e Adolescência, com o apoio de mais de 5,2 mil médicos cooperados e colaboradores da Unimed-BH. No último ano, mais de 6,5 mil postos de trabalho foram gerados e 4,8 milhões de pessoas foram alcançadas por meio de projetos em cinco linhas de atuação: Comunidade, Voluntariado, Meio Ambiente, Adoção de Espaços Públicos e Cultura, que estão alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. Acesse www.institutounimedbh.com.br  e saiba mais.

Cemig

De onde vem a nossa força?

 A Cemig, maior patrocinadora cultural de Minas Gerais, acredita na importância e na valorização da arte e da cultura para o desenvolvimento humano, econômico e social de uma população como possibilidade do alcance de um futuro melhor para as novas gerações.

 A preocupação da empresa em promover a socialização e a democratização do acesso aos bens culturais do estado se baseia principalmente no compromisso da Cemig com a transformação social e inclusão, uma oportunidade de dialogar e trazer melhorias para a comunidade.

 Nossa força também vem da cultura. Saiba mais em www.cemig.com.br

Leo Junior
Leo Juniorhttps://viralizabh.com.br
Bacharel em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário UNA, graduado em Marketing pela Unopar e pós graduado em Marketing e Negócios Locais e com MBA em Marketing Estratégico Digital, é um apaixonado por futebol e comunicação além de ser Jornalista certificado pelo Ministério do Trabalho.
RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Dê sua sugestão!spot_img

Most Popular

Recent Comments