quinta-feira, maio 23, 2024
HomeNoticiasCultura14 e 15/10 - Espetáculo de dança que pode ser acessado sem...

14 e 15/10 – Espetáculo de dança que pode ser acessado sem o sentido da visão estreia em BH

Isso é um poema que transborda” coloca em cena quatro dançarines em uma montagem que pode ser acessada sem o sentido da visão. Espetáculo estará em cartaz no sábado e domingo (14 e 15/10), às 19h, na Funarte

Um espetáculo de dança para não ser visto. Esta é a proposta de “Isso é um poema que transborda”, montagem que estreia nos dias 14 e 15 de outubro (sábado e domingo) às 19h, na Funarte. Concebida também para pessoas cegas e com baixa visão, a produção conta com recursos de acessibilidade que constituem uma camada dramatúrgica da própria montagem. Os ingressos custam R$12 (inteira) e R$6 (meia entrada) e estão à venda pelo Sympla e na bilheteria da Funarte. Nos dias de apresentação, haverá um receptivo para pessoas com deficiência visual, que deve ser solicitado através do formulário bit.ly/receptivoespiralar ou do e-mail projetoespiralar@hotmail.com

Dirigido por Bárbara Maia, com assistência de direção de Victor Pedrosa e direção musical de Gustavo Felix, “Isso é um poema que transborda” conta com um elenco de quatro dançarines: Carol Santiago, Clara Lins, Lu Lapér e Vanessa Oliveira. A consultoria em acessibilidade é de Tatiana Rosales e Thaís Olliveira. “Neste espetáculo buscamos transpor os gestos para as palavras, traduzir o movimento das corpas para o texto verbal ecoando poéticas do (in)visível. Essa é uma dança para não ser vista. Um convite para mergulhar no sentido oposto ao da primazia da visão. Uma provocação para desfazer as fronteiras de binariedades inventadas”, explica a diretora Bárbara Maia.

Isso é um poema que transborda” nasceu do desejo de criar danças para não serem vistas, isto é, danças que possam ser acessadas também sem o sentido da visão. A montagem conta com recurso de acessibilidade que não pode ser destacado da obra: ele constitui uma camada dramatúrgica do trabalho. Não se trata de uma audiodescrição convencional, mas o trabalho é acessível para o público não vidente. Nesse sentido, soma-se à trilha sonora as textualidades que compõem o espetáculo, as quais foram orientadas por Victor Pedrosa e ganharam texturas com Laura Souza, que conduziu a preparação vocal do elenco.

Os figurinos foram desenvolvidos por Dayony Souza, diretora criativa da Trash Real Oficial. A criação de luz é assinada por Cris Diniz e a produção é de Stephanie Cunha.

Serviço:

Isso é um poema que transborda”

Dias: 14 e 15 de outubro, sábado e domingo, às 19h

Local: Funarte MG (Rua Januária, nº 68, Centro – Belo Horizonte)

Ingressos: R$12 (inteira), R$6 (meia entrada) à venda pelo Sympla e na bilheteria da Funarte.

Haverá um receptivo para pessoas cegas e com baixa visão, como também cortesias destinadas a esse público. Gentileza entrar em contato com a produção, através do formulário bit.ly/receptivoespiralar ou do e-mail projetoespiralar@hotmail.com

Ficha técnica:

Direção coreográfica, preparação corporal e produção executiva: Bárbara Maia

Assistência de direção coreográfica: Victor Pedrosa

Produção: Stephanie Cunha

Direção Musical: Gustavo Felix

Preparação vocal: Laura Souza

Artistas intérpretes-criadores: Carol Santiago, Clara Lins, Lu Lapér e Vanessa Oliveira
Gravações em estúdio, mixagem e masterização: Fred Mucci

Gravação de Caixa de Folia, Gunga e Patangome (Folha): Adriano de Alcântara e Souza (Capitão Regente da Guarda de São Sebastião do Reinado de Nossa Senhora do Rosário)

Iluminação Cênica: Cris Diniz

Assistente de iluminação cênica: Helê

Criação de figurinos: Dayony Moura (Trash Real Oficial)

Costureira: Nilo Mendes

Consultoria em Acessibilidade: Tatiana Rosales e Thaís Olliveira

Designer Gráfico: Rafo Barbosa

Fotografia: Christiano Castro

Videomaker: Luísa Machala

Assistente de câmera: Flavi Lopes

Assessoria de imprensa: Luz Comunicação (Jozane Faleiro)

Mídias Sociais: Rizoma Comunicação e Arte (Letícia Leiva, Matheus Carvalho e

Paloma Morais)

Assessoria Jurídica: Rafaela Maia

Gestão Financeira: Marcos Queiroz

Este projeto tem apoio da Funarte e do Centro Cultural UFMG e é realizado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte.

Leo Junior
Leo Juniorhttps://viralizabh.com.br
Bacharel em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário UNA, graduado em Marketing pela Unopar e pós graduado em Marketing e Negócios Locais e com MBA em Marketing Estratégico Digital, é um apaixonado por futebol e comunicação além de ser Jornalista certificado pelo Ministério do Trabalho.
RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Dê sua sugestão!spot_img

Most Popular

Recent Comments