domingo, julho 14, 2024
HomeEntretenimentoRato and Roll Favela Festival chega à 21ª Edição no próximo dia...

Rato and Roll Favela Festival chega à 21ª Edição no próximo dia 20 de julho

O Maior evento de Rock Independente da Periferia de Belo Horizonte será no dia 20 de julho no bairro São Tomás

A 21ª Edição do Rato and Roll Favela Festival será no dia 20 de julho, a partir das 13 horas, na Vila São Tomás. Desde 2010 realizado de forma independente, desta vez por meio do edital BH Múltiplas Artes e Culturas – Edição Paulo Gustavo os organizadores contam com apoio para trazer bandas que tem se destacado no cenário de Belo Horizonte.

 

O Rato and Roll Favela Festival traz o melhor do Rock and Roll & Blues com cinco bandas de diferentes vertentes do rock, do blues, soul, jazz, progressivo, metal, stoner e hard rock: Seu Madruga, Gritta, Gilberto Mauro e a Caboclada, Ablusadas e Loss. O evento leva arte e cultura para a comunidade da Vila São Tomás, Zona Norte de Belo Horizonte, que carece de áreas de lazer e de um centro cultural próximo. Os shows também serão transmitidos pelo youtube através do Canal SLCP.

 

O Festival, idealizado por Elmo Sebastião, O Maior Anão do Mundo, ao longo da sua existência, foi um recorte do melhor da cena musical alternativa belo-horizontina, realizado em local público, de fácil acesso às pessoas com limitações aparentes ou não aparentes, (Rua São Luis, entre Rua Maria Cândida e Rua Barão de Coromandel, no Bairro São Tomás, Regional Norte de Belo Horizonte), com apresentação de bandas ao vivo e média de público de dois mil espectadores.

 

Com a finalidade de promover o acesso, a fruição e a formação de público em Belo Horizonte, mais do que apresentações musicais, o festival incentiva as trocas de saberes entre os integrantes das bandas e o público, composto também de artistas, onde haverá a exposição de artes plásticas com artistas locais previamente selecionados; a exposição fotográfica com 80 imagens captadas nas edições anteriores da festividade que todo ano celebra o dia mundial do Rock and Roll em julho.

 

A importância do projeto Rato and Roll Favela Festival – 21ª edição – é proporcionar a continuidade das ações que visam formar público e fomentar a produção artística autoral e independente da cena musical mineira. A busca é pela visibilidade ampliada tanto para as bandas quanto à produção do próprio festival, tendo como meta a consolidação do evento como uma alternativa da cadeia produtiva musical, acessível, democrática e solidária.

 

A motivação para a existência do festival deriva de uma análise crítica sobre a distribuição desigual de bens e serviços culturais na cidade. A constatação de um vácuo na cena musical belo-horizontina, especialmente para o público jovem da periferia, impulsionou a concepção do Rato and Roll Favela Festival como parte integrante da política pública cultural da cidade. Este evento busca suprir a falta de propostas culturais de qualidade para o jovem dessa região, muitas vezes obrigado a buscar cultura em locais distantes.

 

O festival tem um importante papel na promoção da cultura local e na democratização do acesso à arte e à música. Ao ser realizado na periferia, contribui para a descentralização e democratização cultural, proporcionando acesso, fruição e formação de público em um ambiente que historicamente tem sido marginalizado no âmbito cultural.

 

A 21ª edição do Rato and Roll Favela Festival, baseia-se na experiência acumulada ao longo das edições anteriores e em outros trabalhos de promoção de culturas alternativas. A intenção é aplicar esse conhecimento prático na produção de um evento multicultural que contribua para a descentralização e democratização do acesso à cultura dentro do espaço urbano. Além da valorização da produção artística local, o festival tem atividades paralelas, como exposição fotográfica com fotografias das edições anteriores do festival, resgatando esta memória cultural do Rato and Roll.

Sobre a Vila São Tomás

 

Localizada na Regional Norte de Belo Horizonte, na bacia do Córrego Pampulha, que deságua no Ribeirão do Onça, ao Leste da Represa e ao Norte do Aeroporto da Pampulha. Os bairros vizinhos da Vila são Itapoã, São Vicente, Vila Aeroporto, São Bernardo e Planalto. A Vila Aeroporto comunica-se com a Vila São Tomás através de pontes. Os primeiros moradores da comunidade se instalaram na área em meados da década de 1950, mas a vila se desenvolveu principalmente na década de 60. Os moradores vieram de outras localidades da cidade, ou de cidades do interior do estado, principalmente Vale do Jequitinhonha, Vale do Aço, Vale do Rio Doce e Norte de Minas. Os moradores mais antigos contam que na época a região era “mato puro”, com poucas casas de sapé, e que as pessoas pegavam água na “Matinha”, hoje Lagoa do Nado. Muitos deles furavam cisternas, como contou Dona Eva Alves, moradora da comunidade há 46 anos e que conserva até hoje a cisterna no seu quintal. Os moradores buscavam lenha para cozinhar nas matas dos arredores e lavavam as roupas no Córrego Pampulha, pois na época a água era limpa e permitia até a pesca. Na década de 1960, as famílias ocupantes enfrentaram ameaças de expulsão, em decorrência de ação judicial impetrada pelos proprietários, reivindicando a reintegração de posse dos terrenos. Há inclusive registro do uso de força policial, que resultou na retirada de algumas famílias.

Fonte: https://www.favelaeissoai.com.br

 

BANDAS PARTICIPANTES DO 21º RATO AND ROLL FAVELA FESTIVAL:

 

ABLUSADAS

@ablusadas

Marcantes, subversivas, intensas e Ablusadas, assim se formou a primeira banda de blues autoral do Brasil formada exclusivamente por mulheres. Uma banda belo-horizontina de blues autoral, formada por oito artistas. Diversidade e identidade: Um dos diferenciais da banda está na pluralidade das integrantes. Mulheres que representam diversos perfis e idades e, juntas, fortalecem o olhar e a presença feminina na cena do blues.

Repertório: Músicas autorais e releituras de clássicos do blues, jazz e rockabilly.

 

Integrantes:
Roberta Magalhães – voz principal,

Débora Coimbra – voz e contrabaixo

Thaís Mussolini – pianos

Bruna Vilela – guitarra

Nath Coimbra – trombone,

Julliete Nurimba – saxofone alto,

Ana Júlia Gabriel – saxofone tenor

Bê Moura – bateria.

 

GRITTA
@grittabanda – gritta.com.br

 

Banda que interpreta de forma autêntica e potente canções consagradas do Blues, Rock e Soul nacional e internacional. A GRITTA é uma verdadeira bandeira da representatividade feminina no cenário musical de Minas Gerais, por ser liderada por um time de talentosas musicistas que quebram estereótipos e mostram ao mundo o poder da mulher na música, especialmente no universo do Rock. A banda conta também com um guitarrista e um baixista. Como musicistas, professores e instrutores, demonstram que a paixão pela música não conhece barreiras de gênero, e que todos têm espaço e voz nessa arte transformadora. A GRITTA tem o dom de transformar seus shows em momentos inesquecíveis para o público. Com a combinação de sua energia contagiante no palco, suas performances apaixonadas e o repertório repleto de clássicos, a banda cria uma conexão única com a plateia.

 

Integrantes:

Nina Guimarães – voz

Amanda Barbosa – baterista

Felippe Samuel – guitarrista
Guilherme Matanzaz – baixista

 

LOSS

@loss.band / lossband.com

Fundada em 2020, a banda assinou com a gravadora europeia DyMM Records e lançou seu primeiro EP, intitulado Let´s Go. Com 4 faixas autorais, o EP foi mixado e masterizado pelo renomado produtor dinamarquês Tue Madsen, que tem em seu currículo trabalhos com artistas como Rob Halford, Meshuggah, Vader, Sick Of It All, Behemoth, Dark Tranquillity e Kataklysm.  Em 2022 a banda lançou seu primeiro álbum intitulado Storm. Contendo 11 faixas de autoria da banda, o disco foi gravado em Belo Horizonte no Analog Dream Studio e mixado e masterizado em Atenas (Grécia) por Jim Siou. Ainda neste ano a Loss embarcou para sua primeira turnê europeia, mostrando seu som na Península Ibérica em cidades como Lisboa, Alenquer, Pinhal Novo, Porto, Setúbal (Portugal) e Madrid (Espanha). Em 2023 a banda lançou os singles The Storm e The Mirror, mais uma vez em parceria com Tue Madsen, além da versão de I saw Her Standing There, uma homenagem aos Beatles. Após soltar o single de Leaving em março de 2024, a banda prepara para o segundo semestre o lançamento do novo álbum completo e planeja viajar pelo país para divulgá-lo. Além de shows em BH e interior de Minas, a banda será atração do Dia Mundial do Rock em Macapá – AP, ao lado de Angra e Charlie Brown Jr, no dia 13 de julho, se apresentando na região também nos dias 12 e 14. Também está no radar da Loss shows de lançamento na capital e interior de SP, tours pelo Sul e Nordeste do Brasil. Em 2025 a banda volta ao continente europeu para sua segunda turnê.

Integrantes:
Marcelo Loss  – voz e baixo
Adriano Avelar – guitarra e vocais
Teddy Bronsk – bateria.

 

SEU MADRUGA
@seumadrugaacdc

Fundada em 2001 a Banda SEU MADRUGA vem se apresentando e se destacando em diversos festivais e casas noturnas de BH e Minas Gerais. Fiéis aos arranjos originais do AC/DC, interpretam com perfeição clássicos que vão da fase Bon Scott (1º vocalista do AC/DC) à fase Brian Johnson (atual vocalista do AC/DC), sem descartar nenhum dos maiores sucessos da banda australiana.Performances contagiantes, Rock N’ Roll em alta voltagem, adrenalina do começo ao fim e o som do bom e velho AC/DC. É essa a proposta da Banda SEU MADRUGA.

 

Integrantes:
Alexandre da Mata – Guitarra/voz

Helder Araújo – Guitarra

Pedro Motta – Baixo

Leonardo Márcio – Bateria

 

GILBERTO MAURO E A CABOCLADA

@gilbertomauro_compositor/

 

A caboclada fusion é um espetáculo totalmente autoral. Gilberto Mauro passa por composições instrumentais de seus álbuns “Terra Alta” e “aurum Parapoukos” além de canções de seu último álbum, “Parangoleléletrico”. Ritmos brasileiros dos mais tradicionais e interioranos recebem novas possibilidades de leitura, criando um concerto do interior da terra em fusão com ritmos do jazz progressivo. “Matizes de cores e imagens sonoras em marcantes melodias, muitas vezes bem sublinhadas não só pelo meu piano, mas por naipes de metais, comandados pelo saxofonista , criando uma teia de sons em harmonia”.

 

Integrantes:

Gilberto Mauro – Pianos ( teclado) e vocais

Saulo Fergo – Guitarras ( elétrica e folk) e vocais

Getúlio Prates – Baixo e backing vocais

D’Artagnan Oliveira – Bateria e backing vocais

Edson Morais – Saxofones e aerofone

Serviço:

Rato and Roll Favela Festival @ratoandroll

20 de julho, de 13h às 20h. Entrada Franca

Onde: Rua Dez de Novembro, bairro São Tomás BH/ MG.

Leo Junior
Leo Juniorhttps://viralizabh.com.br
Bacharel em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário UNA, graduado em Marketing pela Unopar e pós graduado em Marketing e Negócios Locais e com MBA em Marketing Estratégico Digital, é um apaixonado por futebol e comunicação além de ser Jornalista certificado pelo Ministério do Trabalho.
RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Dê sua sugestão!spot_img

Most Popular

Recent Comments