terça-feira, julho 23, 2024
HomeNoticiasEconomiaData Secovi implanta novo recurso para auxiliar corretores na avaliação de imóveis

Data Secovi implanta novo recurso para auxiliar corretores na avaliação de imóveis

Instituto de pesquisas da CMI/Secovi-MG vai possibilitar acesso ao valor de imóveis segmentado por endereço

A partir deste mês, o Data Secovi, instituto de pesquisas da CMI/Secovi-MG (Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais), passa a contar com mais um recurso para otimizar a avaliação de imóveis. Por meio da ferramenta, que permite fazer consultas de dados sobre o mercado imobiliário de Belo Horizonte e Contagem, será possível ter acesso ao valor de venda realizada de um imóvel por endereço.

O novo recurso tem como proposta ampliar as possibilidades de análise do mercado, sendo mais um aliado de corretores e imobiliárias. O serviço disponibiliza dados referentes ao segmento de venda de imóveis, com filtros para tipo (apartamento, casa, loja e etc.), bairro e período. Atualmente, 75% de todas as vendas de imóveis realizadas em BH e Contagem são realizadas por empresas associadas à CMI/Secovi-MG. O acesso é exclusivo para empresas associadas à entidade.

No Brasil, de acordo com um levantamento da Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias, o tempo médio para se vender uma casa ou apartamento chegou a 480 dias (dados de 2017). “Podemos observar que esse prazo é muito superior ao de outros países à época: no México, foram 180 dias; Inglaterra, 114 dias e, Estados Unidos, 70 dias. Existem diversos motivos para esse prazo ser tão longo nas transações imobiliárias em nosso país. Entre os mais gerais, podemos listar o cenário econômico e as taxas de juros de financiamento imobiliário, que sobem ou descem de acordo com a inflação. Porém, o fator que mais gera atraso nas vendas é a diferença entre o preço de anúncio e o preço final da venda”, explica Leonardo Matos, diretor da CMI/Secovi-MG e responsável pelo Instituto Data Secovi.

Segundo ele, na maioria das vezes, essa disparidade ocorre porque proprietário e corretores estabelecem como comparação para a definição do valor do apartamento o preço de outro imóvel, no mesmo prédio ou região, anunciado nos mais diversos portais na internet.  Já no México, Inglaterra e EUA, os proprietários e corretores fazem a mesma comparação, porém com base nos valores reais de comercialização dos imóveis. “Diferentemente desses países, aqui não há uma base de dados confiáveis apontando o valor de comercialização de imóveis. No Brasil, esse valor nasce das próprias ofertas, com preços que podem não vender, mas que todo mundo vê. Como consequência disso, há expectativas de preços irreais, que travam o mercado imobiliário”, pontua Matos.

Benefícios

Com o novo recurso do Data Secovi, Matos lista uma série de benefícios para toda a cadeia do mercado imobiliário. “Para compradores e vendedores, considerando que a maioria das pessoas que querem comprar um imóvel precisam vender outro, o prazo para a compra do imóvel dos sonhos será muito reduzido. Além disso, podemos citar a redução do prejuízo de ficar com o imóvel parado, entre eles o IPTU, condomínio, conservação do apartamento, entre outros”, destaca o diretor da CMI/Secovi-MG.

Para o Poder Público, Leonardo Matos destaca o adiantamento no fluxo de caixa de recebimento dos tributos e o aumento da arrecadação devido à maior velocidade da dinâmica de comercialização dos imóveis. Entre os principais tributos, estão o ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis Inter-Vivos), ITCD (Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação), além de taxas e emolumentos cartorários. “Já para as imobiliárias e imobiliaristas, considerando que o corretor de imóveis é um profissional autônomo, haverá um enorme ganho em eficiência, pois a venda se concretizará em menos tempo. Isso permitirá ao profissional ampliar a quantidade de clientes atendidos”, ressalta.

Ele explica que, ao utilizar um preço baseado em valores reais de vendas, além da redução do tempo da concretização do negócio, pode haver o aumento na quantidade de transações realizadas. “O corretor deve definir um valor que faça sentido para alguém que está colocando seu imóvel à venda, baseado em outro com características semelhantes, ou seja, com referência a valores de imóveis comercializados. Isso pode garantir uma negociação justa em um prazo satisfatório”, afirma.

Na avaliação de Cynthia Lanna, associada da CMI/Secovi-MG, que já testou o novo recurso, a ferramenta ajuda a somar na avaliação de imóveis e a balizar o valor de mercado. “Tenho acompanhado as pesquisas do Data Secovi desde o início. Utilizo bastante a ferramenta, aliada com a minha experiência de mercado”, revela. “É um recurso que norteia e agiliza a avaliação de mercado, potencializando a expertise dos profissionais. Com isso, não há risco de ficarmos só no ‘achômetro’”, pontua Cynthia.

Leo Junior
Leo Juniorhttps://viralizabh.com.br
Bacharel em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário UNA, graduado em Marketing pela Unopar e pós graduado em Marketing e Negócios Locais e com MBA em Marketing Estratégico Digital, é um apaixonado por futebol e comunicação além de ser Jornalista certificado pelo Ministério do Trabalho.
RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Dê sua sugestão!spot_img

Most Popular

Recent Comments