sexta-feira, abril 19, 2024
HomeRelacionadosBlack na Live – Projeto encerra a edição com shows online e...

Black na Live – Projeto encerra a edição com shows online e lançamento de coletânea com artistas mineiros

Shows de 24 a 28 de janeiro e coletânea estréia nas plataformas dia primeiro de fevereiro

A banda mineira Black Machine realiza desde 2017 uma ação itinerante pelos bairros de BH batizada de Black na Laje. A atividade, além de fortalecer artistas da música negra da cidade contribuía também para o fomento e a descentralização das atividades culturais, levando os palcos para as vilas e favelas e com talentos locais.

É deste projeto que nasce o festival Black na Live, seguindo  o mesmo conceito, mas adaptado para o formato online. Após seleção aberta em março de 2021 a edição chega ao seu encerramento com shows de artistas de Belo Horizonte, entre os dias  24 e 28 de janeiro, além do  lançamento de uma coletânea com dez faixas gravadas pelos artistas que participam do festival ,  com lançamento previsto nas plataformas digitais para o  dia 01 de fevereiro Pré save: https://bit.ly/3roN61o ).

As apresentações serão exibidas pelo canal do Youtube da banda Black Machine blackmachinebh (Link aqui: https://bit.ly/3I7JRSu), sempre às 20h, com dois artistas por noite que, além das performances, também darão entrevistas contando sobre suas trajetórias como jovens artistas da periferia da capital mineira.  Confira a programação:

24/01 – Mist Kiila & Marcos Fiote

25/01 – Rick Silva & MC Cris da Serra

26/01 – Durães & Sheruba Déluz

27/01 – Mano Will & Ohana

28/01 – Azizi MC & Graziê

Todo o projeto, incluindo as músicas e vídeos, foi gravado e finalizado na Galeria Resistor. A coordenação do projeto é assinada por Bruno Cotta.

Este projeto é realizado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte.

Recorte da cena musical negra contemporânea

Os artistas participantes representam uma interessante e renovada cena musical da cidade, oriunda das regiões periféricas, dialogando com alguns dos gêneros mais relevantes da música negra atual, especificamente o funk e o rap. A produtora executiva Roberta Prochnow explica que entre os critérios para a escolha dos artistas estava a qualidade musical, o fato de pertencerem a comunidades de Belo Horizonte e por se tratar de trabalhos ainda emergentes, mesmo que alguns deles tenham uma caminhada de longa data como MCs, cantores, cantoras, compositores e compositoras.

 

Mapeamento e produção da música negra em Belo Horizonte

 

Um dos resultados diretos do projeto é o mapeamento de toda uma vasta e potente produção artística negra que permanece fora dos holofotes midiáticos. A capital mineira conta com diversos artistas nas periferias ainda desconhecidos do grande público. “O Black na Live visa propiciar condições técnicas e profissionais para que estes artistas ampliem o alcance de suas produções”, relata o coordenador do projeto, Bruno Cotta. Ele ainda relata sobre o processo de adaptação do projeto para o streaming, “Em meio a tantas e diversas produções realizadas anteriormente (lançamento de álbuns, videoclipes, shows, audições…), nos deparamos com uma pandemia que, de fato, chacoalhou tudo e todos. Tivemos que repensar toda estrutura e proposta do projeto, bem como se o mesmo teria forças para sobreviver durante esse período. Neste sentido, o Festival Black na Live reuniu ações para valorizar a diversidade das culturas negras e periféricas de diferentes regionais da cidade de Belo Horizonte, bem como trabalhar estratégias para formação de público por meio da criação de conteúdos para redes sociais e plataformas de streaming desses artistas.”, conclui.

Sobre a GALERIA RESISTOR

A Galeria Resistor é um estúdio mineiro situado na zona leste de BH, em atividade há 4 anos. Especializada em produções diversas de áudio e vídeo, analógico ou digital, vem se posicionando no cenário como núcleo de produção artística multidisciplinar, atendendo demandas de artistas de diversos nichos, da pré-produção ao videoclipe, da gravação à plataforma de streaming. A gestão do espaço fica a cargo do músico e produtor Rafael Carneiro, que com 28 anos de atuação na cena musical, traz sua expertise para o estúdio, procurando atender os artistas em todas as demandas, acreditando que todas as ações são sempre multidisciplinares e complementares.

SERVIÇO:

Black na live – Shows e Lançamento da Coletânea

Shows: 24 a 28 de janeiro, sempre às 20h

Onde: canal do YouTube da Black Machine: https://bit.ly/3I7JRSu

Coletânea Black na Live  – lançamento nas plataformas 01 de fevereiro (pré-save aqui: https://bit.ly/3roN61o )

Leo Junior
Leo Juniorhttps://viralizabh.com.br
Bacharel em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário UNA, graduado em Marketing pela Unopar e pós graduado em Marketing e Negócios Locais e com MBA em Marketing Estratégico Digital, é um apaixonado por futebol e comunicação além de ser Jornalista certificado pelo Ministério do Trabalho.
RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Dê sua sugestão!spot_img

Most Popular

Recent Comments